sexta-feira, 3 de julho de 2015

Entrevista: REGILDA

Biografia da Autora
 Cearense,  moro no Rio de janeiro a 7 anos, tem 31 anos e  cursando jornalismo. Ama ler, já perdeu as contas. Ama mais ainda escrever. Quando começa uma história nova, viaja literalmente, como se  fosse à personagem. É o momento em que ela se sente  dona do mundo. Sua frase preferida é “E foram felizes para sempre”.
Seus personagens sempre tem uma característica dela ou de um amigo. Busca pequenos detalhes como um jeito de agir ou de falar e coloca nos personagens. 




   1.       Você já sabe exatamente o que vai acontecer em suas histórias ou vai criando à medida que escreve?

Sim. Quando eu começo a escrever, já sei todo o enredo e sempre escrevo dois ou três finais diferentes. A escolha vai depender do desenrolar da história. Geralmente eu faço um roteiro e tento seguir ( as vezes eu acabo fugindo um pouco).

   2.       Quando escreveu sua primeira história, conto, poesia ou fanfic você achou que estava bom ou pensou “Pode ficar muito melhor”?

Meu primeiro livro eu escrevi aos 15 anos, coloquei o nome de Confusões de adolescentes. Levei três anos para terminar, por que sempre que lia, encontrava algo que não tinha ficado legal. Quando vim morar no Rio de janeiro, deixei guardado em uma caixa e acidentalmente minha mãe jogou fora achando que era lixo. Quase morri.

   3.       Considera-se uma escritora versátil?

Sim. Sempre escrevi histórias voltadas para adolescente, me inspirei muito na malhação. Cheguei a iniciar um livro fantasia, já estava com 25 capítulos quando meu computador pegou vírus e acabei perdendo tudo. Mas ainda estou com a história na cabeça e em breve pretendo começar a escrevê-lo. Já o livro Segunda chance foi um grande desafio, por que apesar de ser romance, ele tem algumas cenas hots e essa parte foi bem difícil escrever, mas fiquei muito feliz com o resultado.

   4.       Qual seu maior talento como escritora?

Eu gosto de misturar a realidade com a fantasia. Como por exemplo, sabemos que um cara rico nunca vai se apaixonar por uma garota pobre, isso só existe em livros e novelas. No meu livro teve um pouco de fantasia, algo que também nunca irá acontecer na vida real.

   5.       Quando você escreve o que sente?

Nossa, é difícil descrever. Eu me sinto a dona do mundo. É como se eu tivesse o poder nas minhas mãos. Eu viajo literalmente quando estou escrevendo, esqueço de comer, beber, até mesmo de dormir.

   6.       Quando seu livro estiver nas livrarias, e você vê-lo, o que acha que vai sentir?

Eu vou surtar, rir e fazer a dancinha da vergonha. Até hoje ainda não acredito que o meu sonho vai se tornar realidade.

   7.       Como você se imagina profissionalmente falando daqui a dez anos?

Eu espero ainda estar usando essas palavras para descrever o quanto estou feliz a cada livro publicado. Eu tenho histórias arquivadas na minha cabeça que acho que não vou ter tempo de escrever todas.

   8.       Seus personagens são baseados em pessoas reais?

Nesse livro, a história foi baseada um pouco em mim mesma. Um dia eu tive um sonho surreal com uma pessoa por quem eu sofri por alguém por sete anos, e quando acordei, fui direto para o computador escrever.

   9.       Você concorda com a frase “90% transpiração e 10% inspiração”? Se sim por quê?

          Eu discordo. Eu sou 90% inspiração e 10% transpiração. Tenho vários projetos e você     pode me achar uma louca, mas os personagens conversam comigo. Ficam gritando para que eu comece logo a escrever o livro deles.

   10.   Qual seu maior sonho enquanto autora?

Eu sonho alto. Muito alto. Sempre quis gostei de escrever e sempre gostei de inventar histórias, acho que nasci para isso. Quero ser conhecida aqui no Brasil e fora dele. Quero chegar pelo menos perto do sucesso da minha escritora diva Julia Quinn, que tem seus livros lançados em vários países.


Links para contato com Autora:


Sinopse

Cristal quer encerrar sua carreira de modelo internacional e ter um pouco de paz. Durante anos essa foi sua vida, porém, lhe faltava algo. Daniel foi o único que ela deixou se aproximar, entretanto, ele não soube lidar com sua fama e lhe pôs uma escolha, ou sua carreira ou ele. Sete anos se passaram desde aquele dia e o seu amor por Daniel nunca morreu. Em sua festa de encerramento de carreira, o destino os coloca frente à frente e toda a esperança que seu coração cria vai por água abaixo quando ela fica sabendo que ele está casado. Acreditando ter perdido de vez o amor da sua vida, ela deseja voltar ai passado e ter mais uma chance de escrever sua história. Essa oportunidade é dada quando ela acorda em 2008 e pode fazer tudo diferente. Embarque nessa viagem e descubra que o destino às vezes gosta de pregar peças, e que a força do amor vai além do impossível.




Um comentário: