sexta-feira, 3 de julho de 2015

Entrevista: ANE

Biografia da Autora:
Ane é formada em letras português/espanhol pela Universidade Federal Fluminense, pós-graduada em tradução de espanhol pela Universidade Estácio de Sá. Formada no curso profissionalizante de tradução de espanhol pelo Curso Abierto. Atualmente, mestranda em literatura espanhola pela UFF. Trabalha com tradução e revisão em um projeto para ajudar os autores. Seu  primeiro conto foi publicado aos treze anos, a partir daí, seu caminho para alcançar o sonho de ser escritora começou. Até hoje escreve fanfics e continua com os seus projetos, desejando poder publicar seus livros e ter o seu lugar entre tantos autores brilhantes da literatura nacional.


1.       Quando começou a escrever? Por quê?
 Bom, o meu primeiro texto foi um conto quando tinha treze anos de idade. Comecei a escrever porque minha mãe me apoiou. Ela decidiu participar do II Concurso Municipal de Contos de Niterói, apesar de falar que não sabia escrever ela me induziu a participar, para minha surpresa fui selecionada em quarto lugar recebendo uma menção honrosa tendo o conto publicado na coletânea.

2.       Quando você começa a escrever já sabe exatamente o que vai acontecer? 
 Hm... Mais ou menos. (Risos) Tenho uma ideia do que pretendo no livro, porém em certo casos as personagens e o enredo tomam um rumo diferente. Entretanto, sigo a ideia original, mesmo modificando pontos ao longo da escrita.

3.       Já teve um grande dilema sobre algum personagem? Pode contar qual foi?
Sim! Com quem a protagonista terminar. (Risos) Confesso, ainda não me decidi totalmente com quem a Sammy, protagonista de Sonho ruim ou pesadelo bom? irá terminar.

4.       Você gosta de escrever Fanfics como começou?
  Amo! Adoro escrever fics principalmente de A mediadora e Harry Potter. Comecei logo após participar do concurso de contos. Para quem teme na hora da escrita escrever fics é um exercício maravilhoso. Minha primeira fanfic foi A terra das sombras – POV Jesse, porém eu a exclui da conta, infelizmente, ninguém poderá lê-la.

5.       Sempre se imaginou como escritora? Por quê?   
  Somente a partir deste concurso de contos onde tudo começou. Sempre amei ler, no entanto, não sabia dizer se escrevia ou não. A partir dos treze anos descobri que essa era a profissão da minha vida. Escrever e poder alcançar as pessoas com os livros é uma das melhores sensações que existem. Saber que causou um sorriso ou até mesmo lágrimas é muito bom. Deixar os leitores se envolverem e dizerem como se sentem nos dá um prazer inexplicável.

6.       Quando você imagina um personagem, costuma fazer ficha técnica ou algo assim?
  Bom, eu costumo sim, fazer uma ficha com as características físicas e emocionais, entre outras informações.

7.       Você gosta mais de histórias curtas ou longas?
   Gosto dos dois tipos, na verdade. Posso dizer que cada enredo pede por um tipo de duração. Tenho livros longos e curtos, cada um com suas especificidades.

8.       O nome do seu livro favorito, explique por que é seu favorito:
Sem sombra de dúvidas A mediadora de Meg Cabot. Sinceramente amo todos os livros da saga. Amo a forma descontraída que a autora escreve e prende o leitor. As personagens são envolventes e você se vê ansiando por mais. Durante a leitura tem romance, aventura, comédia e drama. Um livro completo.

9.       Um personagem que você gostaria que fosse real:
Digo em alto e bom o Hector da Silva, o Jesse, de A mediadora.

10.   Você pesquisa para dar nomes a suas histórias?
Sim, antes de escrever faço um pesquisa para escolher o nome do livro, das personagens, o local onde vai se passar o enredo. Todo escritor é um pouco investigador. (Risos) Precisamos saber do que falamos e tentarmos criar um ‘universo’ aceitável e apaixonante.


Links para contato com a Autora:
Curtam a Sinopse de Sonho Ruim
ou Pesadelo Bom?


 Samantha Smith depois de ter sido obrigada por seu padrasto, Mark, a trabalhar no verão e conhecer outros mediadores, espera ter um ano letivo normal. Sammy não contava com uma viagem surpresa logo no inicio das aulas. Onde irá encontrar coisas que nunca pensou serem reais, mesmo para uma mediadora. Sendo, o tempo todo posta a prova e ter que aturar um cara que conheceu nas férias, mas não se sente bem perto dele. Samantha tentará descobrir se está vivendo um sonho ruim ou um pesadelo bom.







Um comentário:

  1. Jess,
    obrigada pela oportunidade de divulgar meu trabalho. Adorei poder ser entrevistada por você. Sucesso para nós.

    Beijinhos mil,
    Ane.

    ResponderExcluir